Douro Encantado: o Nosso Best-Seller está a Chegar!

Dicas e Sugestões

2018-04-05

rio-douro
Está de volta o nosso best-seller! O Douro Encantado, um magnífico roteiro de três dias, inclui algumas das atividades mais típicas desta zona e vai levá-lo a visitar locais e desfrutar de atividades tradicionais menos exploradas. As experiências são divertidas e mostram uma paisagem que, numa viagem comum, dificilmente descobriria. Acompanhe-nos nesta viagem!

Apreciar a paisagem ao longo do magnífico Rio Douro, com as vinhas na sua característica disposição em socalcos, a gastronomia típica a acompanhar as vivências a bordo e em terra e as experiências durienses mais tradicionais a animar cada dia, fazem do nosso Douro Encantado um deslumbrante passeio.

 

A experiência parte do magnífico Cais de Vila Nova de Gaia para, quase sem dar por isso, começar a espreitar a Barragem de Crestuma-Lever. Em dias de bom tempo, a cor da água confunde-se com a do céu, garantindo-lhe momentos únicos em surpresa. O barco continua a sua navegação rumo à Régua, passando por algumas das paisagens mais bonitas que podemos encontrar em Portugal. Segue-se a passagem pela famosa Barragem do Carrapatelo, a mais imponente que encontramos no leito deste rio. E, acredite, toda a experiência de cores e sabores que estes três dias lhe vão dar, está apenas a começar.

 

A primeira paragem e descida do barco acontece na Régua. O nosso guia já está à espera do grupo, e recebe-nos com um sorriso bem sincero. A partir deste bonito cais, localizado mesmo no coração do Douro Vinhateiro, começa a nossa aventura. O primeiro local típico? Uma das mais famosas Quintas da Região. O guia da Quinta explicar-nos-á todo o processo (ainda tradicional) de produção dos vinhos desta casa e será este anfitrião que nos apresentará os lugares mais emblemáticos desta Quinta. Seguidamente, faremos uma deliciosa prova de vinhos, acompanhada pelos enólogos mais experientes. E antes de acabar o dia, o check-in num Hotel da Região e um saborosíssimo jantar.

 

No primeiro dia, o nosso cruzeiro parte de Vila Nova de Gaia com destino à Régua.

 

 

Durma bem e acorde cheio de energia porque, no segundo dia, vai visitar a muito antiga cidade de Lamego. Preparámos um dia em cheio, aliando a Cultura duriense às experiências mais tradicionais.

 

Em Lamego, cada rua respira História. Sabia que terá sido aqui que decorreram as lendárias Cortes de Lamego, onde terá sido feita a aclamação de D. Afonso Henriques como Rei de Portugal? Esta é só uma das muitas páginas de História que o nosso simpático guia lhe vai contar durante a visita aos locais mais notáveis desta bela cidade. Não podíamos esquecer – claro – a visita ao célebre Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, um dos mais importantes em Portugal. E os mais aventureiros até podem descer a longa e famosa escadaria, num total de 680 degraus (aproximadamente).

 

E como sabemos que a recuperação de energias é muito importante, esta só pode acontecer com uma deliciosa prova de iguarias típicas da região e vinhos renomados, numa mistura de petiscos aos quais chamamos “Segredos de Lamego”. Vai, simplesmente, adorar!

 

A visita ao Santuário Da nossa Senhora dos Remédios será um dos momentos inesquecíveis do segundo dia!

 

 

Neste encontro com a História, e ainda antes do almoço, vai ficar a conhecer um local pouco explorado desta região, mas elegantemente magnífico: Ucanha. Com localização privilegiada na margem direita do Rio Varosa, será, de acordo com algumas tradições, a vila mais antiga das redondezas.

 

Os primeiros povos que aqui tiveram morada foram os romanos, que aproveitaram as terras férteis do Vale do Varosa e criaram pequenas explorações agrícolas. Séculos mais tarde, foram os monges da Ordem de Cister que fizeram a vila crescer. Prova disso é a nova ponte fortificada e a respetiva torre de portagem dos séculos XII/XV que representam, atualmente, pontos de paragem obrigatória.

As ruas deste pacato lugar são muito coloridas e prometem abrir-lhe o apetite para o almoço típico que se segue, num tradicional restaurante duriense, bem como a visita ao Mosteiro de São João de Tarouca, cuja construção data de 1154. Foi o primeiro mosteiro da Ordem de Cister no país.

 

Ucanha é uma pequena vila pitoresca no Vale do Douro, mas as suas heranças da Ordem de Cister são de paragem obrigatória!

 

Tem muito para contar antes de ir dormir, verdade? Ah! Mas antes de ir dormir vai continuar a saborear os melhores aromas da região do Douro num típico jantar duriense. Porque, afinal, nada como acabar a noite em beleza e de barriga cheia, não concorda?

Chegamos, assim, ao terceiro e último dia do nosso “best-seller”. Hoje já não vai ter aulas de História, mas, sim, de Gastronomia e Enologia. Parece-lhe bem?

A manhã começa com um passeio em Barco Rabelo, a típica embarcação do Douro, que, antigamente, transportava o Vinho do Porto aqui produzido até às Caves em Vila Nova de Gaia para, posteriormente, ser exportado para o mundo. Hoje em dia, estas embarcações são bem mais seguras e proporcionam uma experiência muito agradável.

 

Haverá melhor maneira de começar o último dia deste programa do que a bordo de um Barco Rabelo

 

 

Com partida do bonito Cais do Pinhão, navegaremos por um percurso inacessível através de estradas nacionais. As paisagens são imperiosas, pois esta é a zona onde estão localizadas muitas das principais quintas produtoras de Vinho do Porto. Sente-se nos pequenos sofás localizados na proa do barco e, durante uma hora, desfrute da beleza natural do Douro.

 

Concluído este minicruzeiro, começa a sua aula de enologia numa das mais emblemáticas Quintas da região. Desde os jardins, passando pelas vinhas, produção de vinhos e recriação dos tempos idos durienses, tudo lhe vai ser revelado. Começaremos com uma receção ao som de belas melodias tradicionais, uma visita ao espaço e uma deliciosa prova de vinhos. Ficaremos a saber tudo sobre a forma de produção do famoso Moscatel de Favaios e iremos provar o seu delicioso sabor, acompanhados por experientes enólogos.

 

E o almoço tradicional duriense nesta Quinta será outra das surpresas inesquecíveis e mais bem guardadas desta sua descoberta do Douro em três dias. Os sabores que vai provar são únicos, já que o almoço é confecionado em potes de ferro, tal como acontecia no século passado, ao calor da lareira. E tudo lhe vai ser explicado, à medida que vai degustando os magníficos e tradicionais sabores da Região.

 

E ao almoço espera-o uma experiência única, com os sabores mais tradicionais do Douro.

 

 

Já fez as malas? Consulte as nossas datas disponíveis de Abril a Outubro e marque já o seu lugar. Não se esqueça de trazer curiosidade aguçada, perguntas de bolso e muito apetite!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça as nossas Políticas de Privacidade e Cookies aqui