Bem-vindo a Barca D'Alva!

A Região

2015-02-25

bem.vindo-a-barca-dalva
E aqui estamos, no limite do Rio Douro em território português: Barca D’Alva. Daqui já se avista solo espanhol. Localidade erguida na margem esquerda do rio, prima pela sua beleza natural. Recebe milhares de visitantes, movidos pela curiosidade, que viajam para explorar um dos locais mais genuínos do Douro. Junte-se a nós e descubra a encantadora Barca D’Alva…

A Navegar até Barca D’Alva 
 

Atualmente, já se encontram disponíveis vários acessos para alcançar esta aldeia recôndita, escondida no Douro. Ora seja por estradas, ora seja de comboio. No entanto, a melhor opção é, sem dúvida alguma, um incomparável cruzeiro pelo Douro
 

E como esta viagem de barco é uma experiência inesquecível, tem ao seu dispor uma panóplia de ofertas que o trazem até Barca D’Alva, dando-lhe a oportunidade de tirar maior partido da região do Douro. Pode optar por partir do Porto, da Régua ou até mesmo do Pinhão. A duração da viagem também pode variar consoante o gosto de cada um. Acredite que esta a viagem vale mesmo a pena!
 

 

Barca D'Alva é a localidade que delimita o Rio Douro em território português fazendo fronteira com Espanha

 


Parque Natural do Douro Internacional  

 

Uma vez esta aldeia está inserida no Parque Natural do Douro Internacional, faz todo o sentido que lhe explique do que se trata. Este parque íntegra quatro concelhos distintos: Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta, Miranda do Douro e Mogadouro. Para além disso, abrange 122 quilómetros de troço fronteiriço do Rio Douro e do seu afluente, o Rio Águeda.
 

Este parque dispõe de um riquíssimo património de fauna e flora com paisagens absolutamente deslumbrantes.

 

 

Barca D'Alva está inserida no Parque do Douro Internacional

 

 

O Desabrochar das Amendoeiras em Flor 

 

É precisamente em finais de Fevereiro (ou, consoante o ano, em inícios de Março) que a amendoeira em flor nasce, vestindo a aldeia de branco, com ligeiros tons de lilás e rosa, para mostrar aos seus visitantes toda a sua beleza primaveril. É nesta altura que a localidade é anfitriã da “Festa do Almendro”, uma celebração na qual a amendoeira em flor é rainha. 
 

Sabe qual a razão de ser da “Festa do Almendro”? Aliás, sabe o que “Almendro” quer exatamente dizer? Almendro é a palavra espanhola para amêndoa. Assim, já pelo nome se percebe que esta celebração ultrapassa fronteiras. Com 72 anos de existência, esta festa reúne milhares de pessoas, portuguesas e espanholas. Este evento procura mostrar um pouco da gastronomia e artesanato da região, apadrinhados pela amendoeira em flor.
 

A tradição desta festividade remonta ao tempo em que a estação ferroviária de Barca D’Alva, na linha do Douro, se encontrava em funcionamento. E era este mesmo meio de transporte que trazia os milhares de turistas que vinham contemplar as amendoeiras em flor.

Para além desta flor característica conferir uma paisagem única a Barca D’Alva, esta celebração contribui, também, para o seu desenvolvimento económico. Mas com a estação ferroviária encerrada, os transeuntes diminuíram. O povo de Barca d’Alva acredita que se abrissem novamente a estação, o volume de visitantes seria como fora outrora. 

 

 

Na Primavera, a região celebra o florescer da sua típica flor, a de amendoeira

 


A Estação Ferroviária que tanto se anseia… 
 

Como lhe disse anteriormente é possível usufruir de uma calma e agradável viagem de comboio “quase” até Barca D’Alva. Quase porque, de facto, a estação de comboios de Barca D’Alva encontra-se encerrada. Deste modo, se a estrada não for uma opção viável para si, tem a possibilidade de viajar de comboio até à Régua, ou mesmo um pouco mais acima até ao Pinhão, e seguidamente embarcar num cruzeiro até Barca D’Alva.
 

Indubitavelmente, estas hipóteses serão do seu agrado. Por duas razões: pela linha ferroviária do Douro descobrirá as paisagens mais deslumbrantes sobre o Rio Douro, e a viagem de barco dar-lhe-á uma perspetiva completamente diferente mas, igualmente, avassaladora.
 

Citada por Eça de Queiroz no livro “A Cidade e as Serras”, a estação de Barca D’Alva é descrita da seguinte forma: “Era uma Estação muito socegada, muito varrida, com rosinhas brancas trepando pelas paredes-e outras rosas em moitas, n'um jardim, onde um tanquesinho abafado de limos dormia sob duas mimosas em flôr que rescendiam. Um moço pallido, de paletot côr de mel, vergando a bengalinha contra o chão, contemplava pensativamente o comboio.”

 

 

A Estação Ferroviária de Barca D'Alva encontra-se encerrada desde 1987

 

Desde 1887 esta estação constituíu uma importante paragem do comboio rápido que fazia a ligação entre o Porto e Paris. Poderá ver, ainda, por cima da porta central da estação a inscrição “Grande Velocidade”.

 

Encerrada desde 1987, dela apenas restam algumas estruturas que em tempos prestavam apoio à circulação de comboios, tal como o velho depósito de água (importante para apoio às locomotivas a vapor), ou mesmo a plataforma giratória que permitia que as locomotivas a vapor invertessem a sua marcha. Esta é, agora, uma estação abandonada que esconde toda a sua história… Será que algum dia veremos algum comboio passar novamente por aqui?

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça as nossas Políticas de Privacidade e Cookies aqui