Symington e os Melhores Vinhos do Mundo

Gastronomia e Vinhos

2014-12-02

Symington-e-os-Melhores-Vinhos-do-Mundo
Três dos melhores vinhos do mundo são portugueses e são produzidos no Vale do Douro: um Vintage considerado o Melhor Vinho do Mundo e mais dois orgulhosos terceiros lugares. Para além da particularidade de serem Vinhos do Porto, há mais um detalhe a realçar: dois destes vinhos pertencem à mesma família. Conheça a Symington Family Estates, a família inglesa, escocesa e portuguesa apaixonada pelo Portugal, que ajudou a elevar o Douro ao topo do panorama vínico mundial.

Os melhores vinhos do Mundo

 

No prestigiado concurso dos melhores vinhos do mundo, promovido pela revista de renome internacional Wine Spectator, o Douro foi o grande vencedor. Para surpresa e choque dos maiores amantes de vinho, Portugal conseguiu bater italianos, franceses, chineses ou mesmo norte-americanos na arte de produzir o mais delicioso dos néctares vínicos. O Douro apresenta-se, assim, como uma espécie de Olimpo no panorama das Regiões Vinícolas do mundo.

 

 

Descubra a Região Vínicola produtora dos três melhores vinhos do mundo: Vale do Douro

 

 

No topo da lista dos melhores vinhos do mundo, aquele que conseguiu atingir a maior pontuação (99/100 pontos), está o 2011 Dow’s Vintage. É verdade, um primoroso Vintage! Para além da primeira posição, mais dois vinhos do Douro foram galardoados com um magnífico terceiro lugar. O vinhos Chryseia 2011 Douro e o vinho Quinta do Vale Meão 2011 conseguiram 97/100 pontos. 

 

Esta é, sem dúvida, uma das mais gloriosas épocas para o Douro, tal como já tinha acontecido nos anos 45, 63 ou 70. Épocas extraordinariamente brilhantes. E o que terão em comum o Vinho do Porto Dow’s 2011 Vintage e o Chryseia 2011 Douro? Ambos foram extraídos da casta das 27 Quintas que a família Symington detém no Douro. 

 

Symington: há décadas apaixonados pelo Douro

 

Os Symington são, atualmente, os maiores proprietários de vinhas do Douro. Este seu legado deverá estar muito perto dos 1 000 hectares, o equivalente a cerca de mil campos de futebol. Se pudéssemos descrever esta família em três palavras, elas seriam: Família, Douro, Vintage.

 

Esta é a mais antiga das famílias inglesas no Douro, produtora de referência de grandes vinhos do Porto e de Vinhos DOC Douro (vinho de mesa com denominação de origem controlada). Tudo começou em 1882 quando Andrew James Symington chegou a Portugal para trabalhar na Graham’s. Desde esse momento, a atual Symington Family Estates já teve 14 gerações de luso-britânicos com ligações ao Douro.

 

Ao longo de décadas e décadas de História, os Symington tiveram tempos áureos, mas sofreram igualmente com as adversidades das produções. No entanto, mantiveram-se sempre fiéis àquilo que produziam. Mesmo nos negros anos de 40 e 50, quando o Vinho do Porto pouco vendia e a maioria das famílias britânicas regressou ao Reino Unido.

 

De facto, apesar de ser uma família de ascendência escocesa, inglesa e portuguesa, os Symington adotaram Portugal como país de eleição. Sendo tradição familiar, os seus membros que nascem em Portugal estudam em colégios e universidades ingleses, estagiam numa empresa do Reino Unido e regressam a Portugal para trabalhar neste negócio.

 

Atualmente, é Paul Symington que está à frente deste império. Foi considerado o “Man of the Year” (Homem do Ano) em 2012 pela revista inglesa Decanter. Hoje, a família detém casas de renome como Graham’s, Cockburn’s, Warre’s, Dow’s, Quinta do Vesúvio, Altano e 27 Quintas do Douro.

 

 

Gostaria de provar o 2011 Dow’s Vintage? 

 

Recentemente, numa entrevista ao Jornal I, o representante da Symington Family Estates, revelava o segredo dos grandes vinhos que são produzidos nos socalcos do Douro: o terreno do Douro é “duro, difícil, com pouca matéria orgânica” e, por isso, “as vinhas têm de se esforçar para alcançar a água, sofrem de stresse hídrico e chegam a ter oito e nove metros de profundidade. As vinhas têm de sofrer para o vinho ser bom".

 

Se foi este o elemento essencial na áurea produção do Douro em 2011 ninguém sabe ao certo. Facto é que esse ano valeu a distinção a Portugal e à Região Vinícola do Douro.

 

Mas se está a pensar provar o 2011 Dow’s Vintage, esse néctar dos Deuses considerado o melhor de todos os vinhos do planeta, fique a saber que será difícil conseguir.

 

Em 2011, os Symington produziram apenas seis mil caixas de vinho, o que equivale a cerca de 72 mil garrafas. Uma produção muito pequena. Segundo o próprio Paul Symington, até Setembro de 2013, todo o vinho estava vendido.

 

Entretanto, com o anúncio do vencedor do galardão mundial a 14 de Novembro (sexta-feira à tarde), os pedidos aumentaram. As garrafeiras esvaziaram logo no dia seguinte. Tal excesso de procura faz com que o valor deste vinho seja, atualmente, o dobro. E tratando-se de um Vintage, estima-se que daqui a 20 anos, já tenha ultrapassado os 150€ ou 200€ por garrafa.

 

Independentemente do preço ou do sabor que este Vinho terá na sua áurea altura, o que é certo é que o melhor vinho do mundo nasceu no coração do Vale do Douro e que esta é, indubitavelmente, uma das Regiões Vinícolas mais promissoras do mundo!

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao visitar o site está a consentir a sua utilização.
Conheça as nossas Políticas de Privacidade e Cookies aqui