Blog Douro

Um Roteiro de Páscoa para Descobrir um "Outro" Douro

Publicado por: Daniela Azevedo

Data de Publicação22 março 2018

Páscoa no Douro - 1Além do seu significado religioso, a Páscoa é, acima de tudo, um tempo de renovação, de recomeços, da chegada da primavera e da mudança da hora.

Como tal, uma “escapadinha” de alguns dias a descobrir o lado menos óbvio do Douro, uma “fuga a dois para o desconhecido”, apresenta-se como uma excelente opção. Saiba mais!

Nesta Páscoa, aproveitar um cruzeiro que atravessa três destinos menos conhecidos da região do Douro pode muito bem ser uma tradição que as mais recentes gerações venham a adotar. Aproveitando o nosso cruzeiro entre Régua e São João da Pesqueira, uma das nossas grandes novidades para 2018, vai passar a Páscoa num relaxante fim de semana prolongado a passear com a família por locais menos explorados do Douro.

Em primeiro lugar, é imperativo parar e apreciar a primavera a chegar a Peso da Régua, cidade no distrito de Vila Real, situada junto ao rio Douro, e considerada a capital da região demarcada na qual é produzido o conhecido Vinho do Porto.

Páscoa no Douro - 2
Um Cruzeiro no Douro é a escapadinha perfeita para a Páscoa

A chegada da primavera provoca um sentimento de felicidade, talvez inspirado pelas flores que dão um colorido à paisagem, ou pelo tempo ameno, com mais horas de sol que convidam a mergulhar na Natureza. O concelho da Régua, que tem a Serra do Marão nas suas costas, é o local perfeito para se perder de amores por esta sensação de felicidade de que os especialistas tanto falam, já que a paisagem envolvente da Régua é de uma enorme beleza, banhada pelo Rio Douro, acompanhada pelas vinhas nas suas margens íngremes e pela vista a partir dos miradouros da região.

Aqui bem perto, pode visitar, também, os Jardins e o Palácio de Mateus, construído no séc. XVIII, e, no regresso desta viagem de descoberta, passe pela Rua dos Camilos e compre um saquinho de rebuçados da Régua, em alternativa às costumeiras amêndoas da Páscoa.

Páscoa no Douro - 3
Um passeio pelos jardins do Palácio de Mateus, tornarão a sua Páscoa inesquecível

A cidade deve o seu desenvolvimento ao Marquês de Pombal que, em 1756, criou a Companhia Geral das Vinhas do Alto Douro, mandando-a delimitar com marcos de granito. A história da cidade remete para a época em que fora um entreposto comercial de onde partiam e chegavam os Barcos Rabelos. O vinho que transportavam ia até Vila Nova de Gaia onde, posteriormente, envelhecia nas caves.

Neste cruzeiro vai, também, passar por outro local perdido no tempo. Trata-se da Estação Ferroviária de Ferradosa, uma antiga interface ferroviária da Linha do Douro, que servia a localidade de Ferradosa, no concelho de São João da Pesqueira, em Portugal. Deixou de ser utilizada quando o traçado da linha férrea foi alterado, devido à construção da Barragem da Valeira.

As dificuldades inerentes à construção inicial, motivadas pelo desfiladeiro do Rio Douro e pelas margens escarpadas, implicaram a construção daquelas que, hoje, encaramos como autênticas obras de arte. A ponte original da Ferradosa, que atravessava o rio em diagonal, também vale a pena ser vista e observada com detalhe, dada a vida que teve no final do séc. XIX, princípio do séc. XX.

Páscoa no Douro - 4
A Estação da Ferradosa é um dos locais mais bonitos no Douro, ainda que mantida em segredo

A Quinta da Ferradosa convida, precisamente, a um passeio em família, independentemente da idade dos filhos e netos, já que a palavra que melhor a caracteriza é: tranquilidade. A vista é deslumbrante, acompanhada de temperatura amena, e convida a descansar, apanhar ar, comer bem e com tempo.

Fechamos este nosso fim de semana prolongado em São João da Pesqueira, uma vila portuguesa no Distrito de Viseu, apenas com cerca de 2.000 habitantes a 850 metros de altitude.
O município é limitado só por terras de sonho: a norte pelo Douro e o município de Alijó, a nordeste por Carrazeda de Ansiães, a leste por Vila Nova de Foz Côa, a sueste por Penedono, a sul por Sernancelhe, a oeste por Tabuaço e a noroeste por Sabrosa. Neste tempo, as flores vão começar a abrir nas horas em que o sol está no seu ponto mais alto, ou seja, por volta das 10h30 até as 15h30.

Páscoa no Douro - 5
Visite a Quinta da Ferradosa e aproveite esta Páscoa do melhor modo!

Classificado em 2001 como parte integrante do Alto Douro Vinhateiro Património Mundial, o concelho de São João da Pesqueira, está envolto numa paisagem única, natural e construída, mas, naturalmente, pintada com as cores da cultura da vinha e do vinho, e pelo movimento das populações que diariamente ali trabalham.

De passagem imperdível é o Santuário de São Salvador do Mundo que faz parte de um conjunto de capelas construídas a partir de finais do séc. XVI, que se dispõem desde a base até ao cume do Ermo. Cada uma destas capelas, consideradas parte integrante de um riquíssimo património religioso, pretende recriar os passos de Jesus em Jerusalém a caminho do Calvário. As capelas têm no interior esculturas de tamanho natural representativas das cenas da Paixão de Cristo.

Páscoa no Douro - 6
O Santuário de São Salvador do Mundo permite uma vista incrível das encostas do Douro!

A construção destas capelas terá sido iniciada pelo Frei Gaspar da Piedade, após uma viagem a Roma e Jerusalém, durante a qual escapou a um naufrágio. Em agradecimento, decidiu edificar este santuário, por ter vista para um dos locais mais perigosos do rio Douro.

Do Santuário consegue observar-se uma paisagem fantástica sobre o Rio Douro e a barragem da Valeira, por isso, torna-se também um destino de eleição mesmo para quem não é crente e só quer ter um fim de semana de renovação e recuperação ao ar livre. A primavera está aí… só falta aproveitá-la bem!